A Cidade: Paisagem em Construção

Conversas no Museu | 11 Novembro 2015 | 1 comentário

Na quarta-feira, 11 de Novembro, às 9h30, o Museu do Meio Ambiente recebe os pesquisadores Luis Carlos Madeira (PUC-RJ) e Maria Inez Turazzi (MI-IPHAN) para  debate de encerramento do Simpósio “ O Museu do Meio Ambiente Comemora a Cidade”, organizado em comemoração aos 450 anos do Rio de Janeiro.

No encontro, Luis Carlos Madeira se aprofunda no tema Cidade Olímpica, a favela e o legado.  Para o pesquisador, a cidade do Rio de Janeiro, em seus 450 anos, permanece em dívida com uma parcela expressiva da sua população, que reside em assentamentos precários. Nesta década, a cidade vem assistindo a um grande volume de investimentos no contexto da preparação para abrigar dois eventos internacionais. Entretanto, verifica-se a perda de oportunidade única de o investimento público ter garantido um legado no acesso à habitação digna, bem como a serviços e equipamentos urbanos nas favelas. No evento, Madeira propõe refletir sobre a importância de se investir em programas de urbanização favelas e outras ações da política habitacional e urbanística que busquem reverter o déficit habitacional qualitativo e quantitativo, na perspectiva de uma cidade mais saudável, equânime, justa e democrática.

Maria Inez Turazzi também abordará a exclusão e sua relação com a paisagem e o patrimônio, discutindo os efeitos da candidatura do Rio de Janeiro ao título de patrimônio da humanidade, na categoria “paisagem cultural” (Unesco, 2012). Segundo a pesquisadora, como o conceito de paisagem em si mesmo, a chamada “paisagem carioca” é também uma construção simbólica que se reinventa no tempo e no espaço. Observando-se o crescimento das favelas nascidas há pouco mais de um século e as transformações recentes da área portuária do Rio, a singularidade e a diversidade dessa construção devem muito de sua “familiaridade” e “estranhamento” no imaginário social às múltiplas possibilidades cognitivas oferecidas pelo olhar. Na palestra, Maria Inez apresenta algumas perspectivas sobre as paisagens desiguais da cidade, propondo uma reflexão conjunta sobre o seu devir.

Luis Carlos Madeira é mestre em Planejamento Urbano eRegional pela UFRJ (1999). Atua na área de planejamento territorial, habitatsaudável e regularização fundiária. Servidor público da Fiocruz, é responsável pelo Planejamento Territorial do Campus Fiocruz da Mata Atlântica e colaborador do curso de Pós-graduação Latu-Sensu em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde.  Professor agregado da PUC-Rio no Curso de Arquitetura e Urbanismo, membro da comissão acadêmica do curso de Pós-graduação Sustentabilidade no Projeto: do Objeto à Cidade e integrante do grupo de pesquisa Estudos do Lugar. Autor, entre outros, do livro BiodiverCités: les aires protégées urbaines des laboratoires grandeur nature (BiodiverCités: urban protected areas, some natural size laboratories).

Maria Inez Turazzi é doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1998). Realizou pós-doutorado, como pesquisadora visitante, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (2012). Pesquisadora associada do Laboratório de História Oral e Imagem da UFF, bolsista de produtividade do CNPq e membro do Conselho Curador do Museu do Meio-Ambiente do JBRJ. Autora, entre outros, do livro “Rio 400 + 50; comemorações e percursos de uma cidade”.

 

Sobre o Simpósio:

Como parte das comemorações pelos 450 anos de fundação do Rio de Janeiro, o Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro promoveu o seminário “O Museu do Meio Ambiente comemora a cidade” com a participação de especialistas de diferentes perfis, que abordaram aspectos relevantes da história do Rio, sua paisagem e natureza, bem como suas metas e projetos. Os convidados apresentaram temas como identidade, território, desastre natural e ambiental, a cidade como cenário de mudança, sua crônica e seus personagens, entre outros.

Comemorar os 450 anos da fundação de uma cidade amada por muitos, de beleza indiscutível, de contrastes visíveis e grandes desafios, foi também um convite a promovermos espaços para que os cidadãos refletissem sobre a sua história enquanto memória construída, e pudessem debater com os especialistas sobre as experiências vivenciadas ou não por todos os envolvidos nesse processo.

Compartilhe:   twitter   facebook   Indique este evento   Versão para impressão
Comentários

Ricardo Alberto couto costa | 17.02.2016 11:04 |  | RJ

eu gostaria de fazer um curso de paisagismo. poderia por favor me dizer aonde poso fazer? obrigado.


* campos obrigatórios








500 caracteres restantes

Digite os caracteres que aparecem na imagem abaixo:

Verificação